28 janeiro 2011

Chutaram o saco dos DC.....e aí ?

Pegando fogo a polêmica do Tumblr, deletado esta madruga.
Pra quem pegou o bonde andando: criaram um site onde anônimos podiam xingar ou elogiar vários Diretores de Criação.

A coisa começou a degringolar e originou este texto aqui do excelente Marcelo Reis.

Eu concordo com o Marcelo e discordo do site. E vocês ??
Leia o texto, que está no O ESPAÇO É SEU no site do CCSP:


Abraços

Vamos reativar o blog, pô.
Ninguém posta mais nada.


Diretores de criação de merda. Anônimos idem.

Enquanto aguardava o embarque no aeroporto de Congonhas, na tarde desta quinta-feira (27/01/2011), recebi inúmeros telefonemas de amigos surpreendidos com um site que citava e esculachava todos os diretores de criação do mercado. Me explicaram tudo por alto, me parabelizaram pela minha performance neutra, mas só tive a oportunidade de assistir ao show de horror proporcionado por nós mesmos no início da noite.

Saí para jantar com minha família aliviado por não ser mau caráter, babaca, bunda mole, puxa saco, filha da puta, ter mau cheiro, ser vendido ou minha mãe estar na zona cobrando barato. Ufa, me senti realizado por não ser mais um destes personagens monstruosos da propaganda brasileira ou, se for, ainda não ter sido descoberto pelos poderosos e covardes anônimos.

Que pena. Apenas três meses fora das agências e essa é a motivação que recebo para voltar.

Bem, mais ou menos meia-noite, hora em que volto para casa, me sinto na obrigação de escrever, mesmo que na sexta decida não mandar esta carta para o CCSP. Afinal, agora, eu estou me sentindo mais merda que todos os supostos merdas da diretoria ofendidos pelos próprios funcionários. Pois é, no jantar estava feliz por não ter sido humilhado e não precisar me envolver. Que patético sou eu.

Onde queremos chegar com tudo isso? Como conseguiremos nos impor perante nossos clientes quando nos expomos entre nós desta forma? Que grande retrocesso na nossa carreira, já marcada por problemas tão inusitados, estamos gerando?

Se estamos tão insatisfeitos assim com nossos chefes, temos total liberdade de pedir demissão e ficar em casa produzindo nossos próprios roteiros, nossos curtas, nossas pinturas, nossos longas, nossos freelas ou qualquer outra coisa brilhante que os incompetentes diretores de criação não conseguem entender e perceber como genial.

Que tal deixá-los sem mão de obra disponível? Temos sim o direito e a obrigação de enfrentar líderes considerados problemáticos, mas essa forma foi a pior possível para a gente, chefes ou não. Somos redatores e diretores de arte, podemos fazê-lo com mais elegância e persuasão.

Sim, trabalhamos numa profissão onde a subjetividade impera, a precocidade impera, a personalidade impera, a vaidade impera, a tensão impera. Mas isso era para ser um valor, não um defeito. Sim, temos chefes talentosos mal resolvidos como seres humanos e temos chefes medíocres bem resolvidos no lido com outras pessoas. E temos pessoas do bem nos dois aspectos também. Essas variações fazem parte do nosso negócio (que não é arte), desde que nunca passem do limite do respeito, é claro.

Talvez eu, você, todos nós um dia sejamos este chefe imperfeito. Mas vamos tentar sê-lo com o mínimo de dignidade. A mesma dignidade que não tivemos quando colocamos no ar e demos audiência a um blog vulgar como este, ou como tantos outros que já surgiram no passado, contando histórias pessoais que só dizem respeito aos seus próprios personagens.

Amo a mecânica desta profissão, o conflito saudável, adoro ralar e fritar a cabeça para ter uma ideia que preste e também me empolgo bastante vendo os criativos serem melhores do que eu quando criam, sem hipocrisia. Mas é só propaganda. Vamos tentar ser mais leves e felizes? Quero voltar mais animado para o mercado e não mais desanimado do que saí.

Fiquei enojado com tudo e até comigo mesmo. Escrevo não para me defender, nem para defender qualquer um (cada qual com seus problemas verdadeiros ou inventados), mas para defender todos nós. Agindo assim, como adolescentes revoltados, em quem você acha que o cliente vai confiar mais? Na gente ou no cara da agência, sentado ao nosso ao lado, que parece sério e veste terno e gravata? Estamos armando a arapuca para nós mesmos, como se diz aqui em Minas. Vamos dizer eternamente "sim senhor" para alguém que não sabe criar.

Na minha modesta opinião, quem faz nosso trabalho ser brilhante não somos NÓS, os diretores de criação. Até porque para exercer bem a função, mais importante que ter exagerado talento criativo, o que os diretores de criação devem ter de sobra é critério bom e capacidade de gerenciar e inspirar pessoas.

No fundo, somos NÓS, redatores e diretores de arte, que fazemos a roda girar e entregamos horas preciosas e angustiantes da vida em busca de uma única ideia boa (não estou falando de ideia para festival, muito menos de leões, que por sinal eu, incompetentemente, só tenho um, graças a Deus), eficiente, divertida e vendedora.

Se o exemplo de maturidade e criatividade que nós somos capazes de produzir para colegas, clientes e fornecedores é um mísero site medíocre, malfeito e pessimamente redigido em seu conteúdo colaborativo, aí sim estamos realmente fodidos. Os merdas somos todos nós, sem exceção.


Marcelo Reis

21 maio 2009

48hours Youtube + Cannes Young Lions

@ blog do Adonis

O novo concurso do Young Cannes Lions, o 48 Hour Ad Contest, em parceria com o Youtube, tem 4.517 vídeos inscritos. Destinada a jovens criativos, até 28 anos, a competição vai premiar dois deles com viagem ao festival. O resultado deverá ser divulgado no dia 1º de junho e até 31 de maio o público pode votar pela Internet através do site oficial. Os candidatos tiveram 48 horas para produzir uma peça publicitária divulgando o Climate Change Summit 09, encontro a ser realizado em dezembro, na Noruega, que visa um acordo internacional sobre a ameaça climática ao planeta provocada pela ação do homem. Quem assina o briefing é a ONG britânica OxFam, entidade que luta contra a pobreza. Dezenas de jovens publicitários brasileiros estão concorrendo. Quem quiser pedir votos por aqui é só postar comentário com respectivo link para o Youtube.

Veja o filme do ex-aluno Pedro Henrique Fernandes que está concorrendo ao concurso



11 março 2009

Alberto Cerriteño

Alberto Cerriteño é um designer e ilustrador mexicano que conta com peças como estas em seu portfólio:



02 março 2009

Slow Manifesto

video

Acredito que o Slow manifesto é realmente um movimento importante e que todos deveríamos adotar. "It´s good for the soul to live life better by living slower."

26 fevereiro 2009

Ecológico e útil



É bem legal e simples de fazer, acabo de montar um com uma embalagem de suco de laranja.
O legal é que vc vai tendo idéias e incrementando, por exemplo colocar um forro dentro e que tipo de "fechadura" vai colocar, velcro, botão...depois mando uma foto da minha.

Segue o site da galera que criou isso.Espritcabane.

Todo carnaval tem seu fim...

...e depois novamente seu começo.
O fim é bom. É necessário, senão não haveria uma nova expectativa pelo começo do fim.

André Comte diagnosticou perfeitamente o ciclo que nos mantém na onda do "querer mais".
A famosa esperança. Viver sempre esperando algo novo, algo melhor, algo diferente.
A eterna esperança de se querer sempre mais à plenitude do presente exato. Ser satisfeito com o que se tem, e não com o que se pode obter mais.

A eterna busca da felicidade que passa desapercebida no ato presente, para algo que só podemos imaginar o que seria.

Depois do discurso, posso dizer que vivi o carnaval de 2009, e que o que virá depois de agora, só será o fluxo natural do meu ser feliz.


"Diga espelho meu, se há na avenida alguém mais feliz que eu."
É hoje - União da Ilha (1978)